07 de fevereiro de 2014

Thomas S. Monson, Presidente

Escritório da Primeira Presidência

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Rua 47 East South Temple Street

Cidade do Lago Salgado, Utah 84150-1200

Estimado Presidente Monson:

Nós fazemos parte de uma comunidade de milhares de membros e ex-membros d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Eventos recentes concernentes a Igreja, incluindo um processo legal na Grã-Bretanha, nos levaram a adicionar nossas vozes ao debate sobre o desejo para maior transparência.

Expomo-nos publicamente como Bispos, Presidentes da Sociedade de Socorro, Presidentes de Quórum de Élderes, Presidentes de Primária, líderes de Rapazes e Moças, missionários, e dizimistas, tanto no presente como no passado. Amamos a Igreja e ainda amamos seus membros, embora muitos de nós tenha tomado a dificil decisão de sair da Igreja. O Presidente Dieter F. Uchtdorf concatenou bem os sentimentos de muitos de nós quando disse:

Pode-se perguntar a si mesmo: - Se o Evangelho é tão maravilhoso, por que alguém escolheria abandona-lo?

Às vezes presumimos que seja porque eles se ofenderam, ou são preguiçosos, ou pecadores. Na verdade, não é tão simples. O fato é que não há uma única razão que se aplica à todas as variedades de situações…

Alguns sofrem com perguntas não respondidas sobre coisas que foram ditas ou feitas no passado.1

Nós começamos a examinar nossas perguntas não respondidas e nos sentimos chocados com nossas descobertas. Pesquisamos vastas coleções de documentos na internet e descobrimos detalhes críticos envolvendo a história da Igreja que nunca nos haviam sido ensinados: relatos múltiplos e divergentes da Primeira Visão, controvérsias sobre a fonte e a tradução do Livro de Abraão, mudanças na visão sobre a ancestralidade dos Ameríndios, problemas concernentes poligamia e poliandria, papéis no Sacerdócio na Igreja primordial, a fonte do texto do Livro de Mórmon, entre muitos outros temas -- das quais éramos completamente ignorantes. Após frequentar, participar, e servir plenamente na Igreja por anos, sentimos que de tais temas deveríamos ter sido orientados e que a angústia emocional resultante poderia ter sido evitada.

Creio que, no passado, havia uma tendência para manter muitos documentos escondidos, ou ao menos inacessíveis. O mundo, contudo, vem mudando nas últimas gerações, e com acesso livre às informações através da Internet, não podemos continuar com este padrão; Creio que precisamos continuar a ser mais abertos.2

— Élder Steven E. Snow, Historiador da Igreja

Nos dá imensa satisfação ver que a liderança da Igreja tenha reconhecido a necessidade para oferecer maior acesso à informação acurada ao publicar uma série de ensaios em seu site LDS.org justamente abordando alguns destes temas controvérsos. Aplaudimos esse novo gesto em direção à maior transparência e abertura. Infelizmente, tais ensaios encontram-se escondidos alfabeticamente numa lista de Tópicos do Evangelho (mas não em Português), tornando o acesso a eles para a maioria dos membros da Igreja mundial simplesmente difícil. Enquanto tais ensaios sejam uma ferramenta útil para iniciar um diálogo sobre nossas dúvidas e preocupações, eles tampouco recebem a chancela de doutrina ou política oficial da Igreja, o que leva, com frequência, muitos membros da Igreja a desconfiarem de seus conteúdos. São, certamente, um passo certo na direção certa, mas há ainda muito que precisa ser discutido.

Esta falta de clareza torna difícil, para alguns dos membros mais fiéis, pesquisar a história da Igreja com acurácia, ou mesmo a confiar familiares que compartilham desta história com eles. Quando aprendemos algo de novo que nos deixa ansiosos para compartilhar com nossos familiares e entes queridos, frequentemente nos deparamos com desconfiança e suspeição, levando a discórdia, contenção, e infelicidade em nossas relações. A contenda que afeta a tantos é exatamente contrária aos próprios conselhos da Igreja para construir relações familiares baseadas em amor e confiança:

Sentindo a segurança e a constância do amor por um cônjuge, um guardião, ou um filho é uma rica benção. Tal amor cultiva e mantém a fé em Deus. Tal amor é uma fonte de fortaleza e subjuga medos (ver 1 João 4:18). Tal amor é o objeto de desejo de toda alma humana.3

— Élder David A. Bednar

Aqueles de nós, que já nos defrontamos com tais problemas e escolhemos sair, somos rotulados agressivos, raivosos, ofendidos, e pecadores; lições de Escola Dominical caracterizam aqueles que saem da Igreja como gananciosos, maus, orgulhosos, ardilosos, descuidados, apóstatas, entre outras.4 Tal vilificação não existe sem enormes custos: relacionamentos são testados, casamentos terminados, filhos e netos separados de seus entes queridos, e até empregos e residências perdidas. Pior ainda, muitos de nós perderam entes queridos ao suicídio por causa deste cruel e desnecessário isolamento. Ao trazer estes, e outros, temas históricos e teológicos à luz, esperamos abrir diálogos genuínos e a começar a reparar relacionamentos destruídos, enquanto construímos novos.

Especificamente, estamos pedindo por:

  • Concientização pública aumentada para os ensaios supracitados já existentes e para futuros ensaios através de anúncios impressos e via internet, além de disponibilidade mundial em publicações oficiais da Igreja
  • Tradução dos ensaios supracitados para as demais línguas, de modo a permitir um alcance global
  • Inclusão das datas de publicação, atribuições autorais, e descriminação se conteúdo representa ou não política ou doutrina oficial da Igreja, para todas as publicações impressas e na internet.
  • Inclusão desta informação no material correlacionado usado em reuniões da Igreja, seminário e instituto, cursos do CTM, e com investigadores.
  • Novas lições e treinamento direcionados a melhor lidar com os desafios de famílias de fés diferentes e como manter relacionamentos saudáveis em tais situações
  • Separação de casamentos civis dos selamentos no Templo para permitir a inclusão de todos familiares, independente de filiação religiosa5
  • Proibição de retórica que humilha, vilifica, ou marginaliza membros de questionam ou abandonam a fé, colocando-os em contenda com seus familiares
  • O mesmo nível de transparência com as finanças da Igreja que são esperados de quaisquer outras organizações religiosas ou não-governamentais

Sentimos que a hora é agora para que a Igreja se comprometa com uma política de transparência completa.

[N]ós não temos o que esconder. Nossa história é um livro aberto. Eles até podem achar o que estão procurando, mas o fato é que a história da Igreja é clara e aberta e leva à fé, força, e virtudes.6

— Presidente Gordon B. Hinckley

Todos os membros atuais, ex-membros, e membros futuros da Igreja merecem informação completa, honesta, e acurada em relação a história da Igreja, suas doutrinas, suas finanças, e sua cultura.

Sinceramente,

Subscritos à esta Carta Ao Presidente Thomas S. Monson

http://por.mormonopenletter.com/signatures

Referências:

  1. Dieter F. Uchtdorf, “Venham, Juntem-se a Nós” Conferência Geral, Outubro de 2013, em Relatório de Conferência Geral, Cidade do Lago Salgado: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 2013.
  2. Blair Hodges, “A Verdade na História da Igreja: Trechos de Perguntas e Respostas com Élder Steven Snow”, 08 de novembro de 2013,
    http://maxwellinstitute.byu.edu/truth-in-church-history-excerpts-from-the-religious-educators-qa-with-elder-steven-snow/ (acessado 07 de fevereiro de 2014).
  3. David A. Bednar, “Mais Diligentes e Interessados em Casa” Conferência Geral, Outubro de 2009, em Relatório de Conferência Geral, Cidade do Lago Salgado: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 2009.
  4. “Capítulo 27: Tomar Cuidado Com os Amargos Frutos da Apostasia” em Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, Cidade do Lago Salgado: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 2011.
  5. 6. Esta política de obrigar um ano de espera entre casamentos civis e o selamento no Templo só se aplica, atualmente, nos seguintes países: EUA, Canada, Nova Zelândia, e Africa do Sul.
  6. Jennifer Dobner, “Pres. Hinckley Responde Perguntas Sobre Igreja SUD”, 25 de dezembro de 2005, http://www.deseretnews.com/article/635171604/Pres-Hinckley-answers-myriad-questions-about-the-LDS-Church.html?pg=all (acessado 07 de fevereiro de 2014).

Add your name to the letter

Preview (This is how your name appears on the signatures page)


Answers to some common questions